13 de dezembro de 2006

Em que comunidades como Orkut e MSN podem interferir na vida escolar?



Observo quando converso com minhas alunas na faculdade e educadores de várias áreas e graus que grande parte deles resiste ao uso de comunidades na Internet. Uns por acharem que os alunos passarão a escrever “errado”, outros que os temas abordados são sempre irrelevantes e outros por puro desconhecimento de causa. Eu tenho visão diferente a respeito de comunidades e programas de relacionamento na Internet.

Estou certa de que podemos usá-los em benefício da educação orientando nossos alunos dos perigos que podem oferecer, assim como fazemos todos os dias alertando-os dos problemas do mundo real sem, no entanto, impedi-los de sair à rua ou fazer novos amigos. Não será difícil abordarmos o mundo virtual. Basta que nos informemos e também passemos a fazer parte destas comunidades.

Nossos alunos depois de conscientes da importância de não oferecer dados pessoais, não expor em demasia suas fotos e não confiar em desconhecidos na Internet podem alcançar grandes resultados utilizando estas comunidades, dentre eles, apesar dos que pregam o contrário, o desenvolvimento da leitura e da escrita. Para que este desenvolvimento realmente ocorra devemos voltar a atenção para os cuidados com a língua. Em um bate papo informal com a garotada podemos chegar ao consenso de que não é bom ter em nosso perfil nas comunidades e ou nas mensagens que enviamos erros que agridam a língua mãe. Sendo persistentes podemos reverter tudo isto a nosso favor.

Em relação ao “internetês”, “orkutês” ou qualquer outro "ês" que invade nossa língua, li um artigo de Carlos Seabra na revista “A Rede”, onde escreve de sua preocupação com a Língua Portuguesa na Internet. O ponto principal não está, no entanto, nos deslizes da língua, mas na falta de conteúdo da mesma na Web. "...se hoje pesquisarmos no Google a ocorrência de "halloween", encontraremos mais de 100 milhões de páginas. Já a ocorrência de "saci-pererê" fica em 127 mil páginas". Para sanar casos como este sugere o estímulo e o direcionamento de projetos de inclusão digital para criação de conteúdos que aumentem a quantidade de material em nosso idioma. De programas de relacionamento aos populares blogs que os professores já descobriram e começaram a utilizar em prol da educação. Eu concordo com Seabra. Mesmo com todas as dificuldades de leitura e escrita, a resistência de alguns professores e a invasão do “internetês”, utilizar a Internet com fins educativos pode contribuir para o aumento de conteúdos da Língua Portuguesa na net.

Voltando aos tão temidos perigos da Internet repito que estão em toda parte, não podemos fugir. O melhor que fazemos é aprender a lidar com eles. Além disto prefiro que nossos alunos utilizem a Internet conscientes de seus benefícios e perigos do que se aventurarem por ela totalmente sós. Porque é o que farão se nós, educadores, simplesmente os proibirmos afirmando que é ruim.


Informe-se:

Conheça a opinião de outros educadores

O que meu aluno faz neste tal de Orkut?

4 comentários:

Marli disse...

olá amiga!

Assino embaixo.Vou ler com calma o artigo . Fiquei bem interessada. Acho que tapar o sol com a peneira nunca foi solução. Hummm e quanto ao amigo oculto, fica em suspenso... Beijos!

Paulino Michelazzo disse...

Professora,

Existem dogmas na educação tradiconal e consequentemente nos educadores que fazem parte dela que precisam ser extripados rapidamente para que não sejamos os lanterninhas dentro das áreas digitais. Um deles é relacionado a própria questão tecnológica e do uso das ferramentas hoje existentes para fomentar o aprendizado.

Entretanto vejo as redes sociais mais como "válvulas de escape" para a pressão do dia-a-dia do que efetivamente uma ferramenta de fomento de conhecimento. Para isso existem outras abordagens como a Wikipédia (http://www.wikipedia.org) que acredito surtir mais efeito no estudante.

Parabéns pela iniciativa do blog.

Saudações

Fátima disse...

Ei, este blog está abandonado?
Brigadão pela visita e pelo comentário.Que bom que vc gostou do post.
Sucesso no curso!!
bjs

Sindy disse...

Andrea
Lendo este post, separei algumas coisas que já publiquei lá no Bloguinfo:

http://bloguinfo.blogspot.com/2006/09/o-internets-culpado-ou-inocente.html#links

http://bloguinfo.blogspot.com/2006/11/ponto-negativo.html#links

http://bloguinfo.blogspot.com/2006/10/emlia-ferreiro-fala-sobre-internet-na.html#links

Bjks
Sintian
bloguinfo.blogspot.com