22 de julho de 2009

Lona de Luz

O Grande Circo Místico é um álbum de teatro criado em 1983 por Chico Buarque e Edu Lobo inspirado no poema homônimo de Jorge Lima, presente no livro A Túnica Inconsútil de 1938. Poeta do parnasianismo e do modernismo, Jorge Lima por sua vez, criou o poema tendo com referência fatos ocorridos na Áustria do século XIX.
Para comemorar os dez anos de promoção da cultura em Cataguases pelo Instituto Francisca de Souza Peixoto, seus colaboradores se reuniram e adaptaram a história criando o espetáculo Lona de Luz que será apresentado nos próximos dias 8 e 15 de agosto em suas dependências, sempre às 20 horas. A presença dos amigos iluminará ainda mais a lona.

É preciso conhecer o Grande Circo Místico de Jorge de Lima

O médico de câmara da imperatriz Teresa – Frederico Knieps – resolveu que seu filho também fosse médico, mas o rapaz fazendo relações com a equilibrista Agnes, com ela se casou, fundando a dinastia de circo Knieps de que tanto se tem ocupado a imprensa. Charlote, filha de Frederico, se casou com o clown, de que nasceram Marie e Oto. E Oto se casou com Lily Braun a grande deslocadora que tinha no ventre um santo tatuado. A filha de Lily Braun – a tatuada no ventre quis entrar para um convento, mas Oto Frederico Knieps não atendeu, e Margarete continuou a dinastia do circo de que tanto se tem ocupado a imprensa. Então, Margarete tatuou o corpo sofrendo muito por amor de Deus, pois gravou em sua pele rósea a Via-Sacra do Senhor dos Passos. E nenhum tigre a ofendeu jamais; e o leão Nero que já havia comido dois ventríloquos, quando ela entrava nua pela jaula adentro, chorava como um recém-nascido. Seu esposo – o trapezista Ludwig – nunca mais a pôde amar, pois as gravuras sagradas afastavam a pele dela o desejo dele. Então, o boxeur Rudolf que era ateu e era homem fera derrubou Margarete e a violou. Quando acabou, o ateu se converteu, morreu. Margarete pariu duas meninas que são o prodígio do Grande Circo Knieps. Mas o maior milagre são as suas virgindades em que os banqueiros e os homens de monóculo têm esbarrado; são as suas levitações que a platéia pensa ser truque; é a sua pureza em que ninguém acredita; são as suas mágicas que os simples dizem que há o diabo; mas as crianças crêem nelas, são seus fiéis, seus amigos, seus devotos. Marie e Helene se apresentam nuas, dançam no arame e deslocam de tal forma os membros que parece que os membros não são delas. A platéia bisa coxas, bisa seios, bisa sovacos. Marie e Helene se repartem todas, se distribuem pelos homens cínicos, mas ninguém vê as almas que elas conservam puras. E quando atiram os membros para a visão dos homens, atiram a alma para a visão de Deus. Com a verdadeira história do grande circo Knieps muito pouco se tem ocupado a imprensa.

(A Túnica Inconsútil – 1938)

Para saber mais sobre O Grande Circo Místico de Chico Buarque e Edu Lobo clique aqui

Um comentário:

Juliano Carvalho disse...

Eu adorei essa sinopse!!! TUDO.